sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Internet trás o início de uma nova era

Já perceberam que os jovens hoje em dia andam muito mais espertos que os adultos?

A internet é a responsável por isso, por falta de tempo para cuidar dos filhos, muitos pais acabam dando um PC, netbook ou notebook para seus filhos, e hoje em dia não tem quem tenha um computador sem internet.

Já notaram que na TV você vê mais coisas negativas a respeito da internet, o mundo virtual em geral? A razão é óbvia, pois querem que você largue o computador para ficar na frente da TV, pois na TV quem faz a programação, quem escolhe o que você quer ver são os donos da emissora que você estiver assistindo, o acesso a informação é muito limitado, fora que toda a informação antes de ser transmitida ao telespectador passa por um filtro de certos interesses, e qualquer um com pouca experiência de vida sabe o que as pessoas são capazes de fazer pelo dinheiro, da mesma forma a mídia não sobrevive só de ibope, audiência, aí estas oportunidades de ganhar mais dinheiro variam, desde excesso de publicidade inútil, até acobertar corrupção de politicos em troca de favores ou uma grana extra, é aquele velho ditado "uma mão lava a outra", onde fica o telespectador neste jogo de favores?

Muitos jovens hoje em dia com 10 anos de idade já sabem quase tudo sobre sexo entre vários outros assuntos, a internet pode ter muitos defeitos, como a facilidade que um pedófilo tem de se comunicar com estas crianças que passam horas em redes sociais, sites de jogos, bate-papo e etc, mas ela trouxa o que a mídia televisiva nunca trouxa, que é o total acesso a informação.
E é isso que a mídia teme, pois enquanto ela tenta esconder uma coisa ou outra para favorecer segundos e terceiros, na internet as pessoas tem acesso através de Blogs, YouTube, Orkut e etc, e para manter as pessoas longes da internet, ela vive fazendo matérias como pedofilia, vícios do mundo virtual, assim deixa os pais destas crianças preocupados, muitas vezes até preferindo que ela fique na frente da TV, do que do computador.

A muitos anos, políticos e outros grandes poderosos influentes vem usando este poder para tirar a liberdade de expressão, vários blogs como o http://www.tijoladasdomosquito.com.br/ por exemplo, já teve o seu blog várias vezes deletado, bloqueado por aqueles que não querem que as pessoas tenham acesso a certas informações, geralmente tais denúncias são feitas por corruptos, pessoas sem moral para mandar em nada.

O que acontece é que as crianças, jovens em geral de hoje frequentam muito a internet, a internet é uma porta para o mundo a fora, hoje em dia não é preciso você sair de casa, para saber que existe pobreza ali e aqui, não é preciso esperar a TV anúnciar, graças a internet a sociedade evoluiu absurdamente seus conhecimentos sociais, e a TV se viu forçada a evoluir também, apesar desta evolução a TV ainda protege muito os interesses de segundos e terceiros, a mema não merece total credibilidade.

Com base em tudo que a internet tem trazido, acho que ainda haverá uma grande revolução, revolta contra políticos, televisão, a geração do império da Televisão se torna mais fraca a cada adulto da geração da TV que morre, uma hora ou outra não vai ter quem ensine que ali na TV tem mais credibilidade, até estes mesmos adultos que pouco acessam a internet e tem como fonte de informação a TV hoje em dia muitos deles já acessam o YouTube, Orkut, Facebook e etc com boa frequência.

RESUMO, para quem não leu: jovens são mais inteligêntes pois acessam mais a internet, enquanto os adultos ainda são do tempo em que a única fonte de informação era a TV.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

A televisão matou vários telespectadores de câncer

Mais uma prova do valor que a televisão dá para seus telespectadores, por dinheiro as pessoas fazem qualquer coisa.









Eles sabiam que o cigarro fazia mal a saúde, detalhe é que o esquema de propaganda é o mesmo esquema das propagandas de cerveja, mostrar gente bonita, saudável, praticando esportes radicais, ou se divertindo com os amigos, como se o que estivesse sendo vendido fosse uma vitamina, ou energético.

A mesma mídia que adora fazer campanhazinhas hipocritas contra o uso de crack, maconha, cocaína entre outras drogas, incentiva e promove o uso de outras drogas.
Achei que o dever da mídia era entreter, educar, conscientizar e informar o povo do certo e errado, e não lucrar a qualquer custo, logo vemos que a mídia não merece tanta credibilidade, cuidado com o que você assiste.

Dez (10) estratégias de manipulação da mídia

FONTE: http://altamiroborges.blogspot.com/2010/01/chomsky-e-as-estrategias-de-manipulacao.html



O lingüista estadunidense Noam Chomsky, que se define politicamente como “companheiro de viagem” da tradição anarquista, é considerado um dos maiores intelectuais da atualidade. Entre outros estudos, ele elaborou excelentes livros e textos sobre o papel dos meios de comunicação no sistema capitalista. É dele a clássica frase de que “a propaganda representa para a democracia aquilo que o cassetete significa para o estado totalitário”. No didático artigo abaixo, Chomsky lista as “10 estratégias de manipulação” das elites. Vale a penar ler e reler:

1- A estratégica da distração.

O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distrações e de informações insignificantes.

A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais (citação do texto “Armas silenciosas para guerras tranqüilas”)”.

2- Crias problemas, depois oferecer soluções.

Este método também é chamado “problema-reação-solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

3- A estratégia da degradação.

Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, é suficiente aplicar progressivamente, em “degradado”, sobre uma duração de 10 anos. É dessa maneira que condições socioeconômicas radicalmente novas têm sido impostas durante os anos de 1980 a 1990. Desemprego em massa, precariedade, flexibilidade, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que haviam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de forma brusca.

4- A estratégica do deferido.

Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo “dolorosa e necessária”, obtendo a aceitação pública no momento para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, por que o esforço não é empregado imediatamente. Em seguida, por que o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que “tudo irá melhorar amanhã” e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se com a idéia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegue o momento.

5- Dirigir-se ao público como crianças de baixa idade.

A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse um menino de baixa idade ou um deficiente mental. Quanto mais se intente buscar enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante. Por que?

“Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos, então, em razão da sugestionabilidade, ela tenderá, com certa probabilidade, uma resposta ou reação também desprovida de um sentido critico como a de uma pessoa de 12 anos de idade (ver “Armas silenciosas para guerras tranqüilas”)”.

6- Utilizar o aspecto emocional muito mais do que a reflexão.

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e por fim ao sentido critico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar idéias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos…

7- Manter o público na ignorância e na mediocridade.

Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. “A qualidade da educação dada as classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre o possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores às classes sociais superiores seja e permaneça impossíveis para o alcance das classes inferiores (ver “Armas silenciosas para guerras tranqüilas”)”.

8- Promover ao público a ser complacente na mediocridade.

Promover ao público a achar "cool" pelo fato de ser estúpido, vulgar e inculto…

9- Reforçar a revolta pela culpabilidade.

Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades, ou de seus esforços. Assim, ao invés de rebelar-se contra o sistema econômico, o individuo se auto-desvalida e culpa-se, o que gera um estado depressivo do qual um dos seus efeitos é a inibição da sua ação. E sem ação, não há revolução!

10- Conhecer melhor os indivíduos do que eles mesmos se conhecem.

No transcorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado crescente brecha entre os conhecimentos do público e aquelas possuídas e utilizadas pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o “sistema” tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto de forma física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o individuo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos a si mesmos.

***BONUS***